Devido a pandemia do Covid-19 (Novo Coronavírus), um grande fluxo estabelecido nos trabalhos via home office, gerou uma demanda de acessos ao programa zoom, feito para videoconferências, com a sua popularização, veio a tona algumas supostas falhas do sistema, que expõe os dados e coloca em risco os usuários.

 

A princípio essas “falhas”do sistema, compartilhavam dados com o facebook e o linkedin, não informando de uma maneira clara aos usuários que isso acontecia, além da criptografia dos dados não ser uma real criptografia de ponta a ponta e sim uma TLS, ou seja, pessoas de fora não poderiam acessar os dados transitados via conferência, mas o aplicativo tem acesso via o seu servidor.

 

A partir do zoom pode-se gerar um link para enviar um convite de reunião, não precisando cadastro para acessar a sala, bastando apenas instalar o software, seja via celular ou computador, isso faz com que muitos cibercriminosos, gerem links e enviem para usuários que erroneamente abram o link pensando entrar em uma videoconferência, e acabam baixando algum software malicioso na própria máquina.

 

A Justiça brasileira enviou uma notificação a empresa.
Ministério da Justiça e Segurança Pública notifica o aplicativo Zoom

Empresas concorrentes como Skype, Microsoft e o Google Meeting, nao exigem a instalação de software por terem versões web.

 

Muito cuidado na hora de abrir e instalar algum programa, utilize sempre um bom antivírus, fique atento a quem lhe envia os links, na dúvida, confirme antes de abrir, com a pessoa que lhe enviou.